quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Lançamentos da Apple na semana

Ontem (anteontem, já que esse post foi publicado no dia 25), dia 23 de outubro, a Apple realizou um evento na California e revelou para o mundo algumas novidades bem interessantes.

Ela apresentou um MacBook Pro Retina de 13". Ele possui uma resolução de 2560x1600.

Ele pode ser configurado com i5, i7, 8GB de RAM, 128GB até 768GB de armazenamento SSD. Intel HD Graphics 4000, FaceTime HD, dois microfones e alto-falantes estéreo.

Enfim, é bem semelhante ao MacBook Pro Retina 15", mas a placa de vídeo é pior e a tela e resolução são menores. O processador no de 15" é quad-core, no de 13" é dual-core.


A Apple também anunciou um novo iMac. Ele é incrivelmente fino porque não possui drive óptico. Mas ele é curvado atrás, ou seja, a Apple criou uma ilusão de ótica muito bem feita. Ele não é grosso na parte curva, mas a parte da borda é bem fina.

Ele não tem drive óptico. Possui 4 entradas USB, 2 Thunderbolt, Ethernet, entrada para fone de ouvido, alto-falantes, FaceTime HD, dois microfones, entrada para cartão SD.

Pode ser configurado com i5 ou i7 (quad-core). Está disponível em modelos de 21 ou 27 polegadas. O modelo mais básico possui uma Nvidia 640M com 512MB de memória de vídeo. Existem várias configurações, enfim.

A coisa mais legal desse iMac é uma tecnologia conhecida como Fusion Drive. O consumidor escolhe um HD de 1TB ou 3TB. O HD é híbrido, e 128GB funcionam como um SSD. É como se existissem 2 discos, na verdade. O sistema trata tudo como um só. Aliás, o OS é instalado no SSD, assim como os aplicativos que vêm com o sistema.

O OS detecta o que você mais usa e coloca isso no Fusion Drive para que as tarefas sejam executadas com mais rapidez. A velocidade é quase igual à velocidade atingida se existisse um SSD no computador.


Também foi anunciado uma versão atualizada do Mac Mini. A versão server também está bem mais interessante. Agora o Mac mini  possui Thunderbolt, USB 3.0, Bluetooth 4.0, o HD pode aumentar até 1TB, a memória pode ser configurável até 16GB e ele conta com os novos processadores Ivy Bridge.

A Apple está passando por uma transição. Ela mudou o conector no iPhone, e precisava mudar o conector em todos os seus iGadgets. Mudou nos iPods mais importantes e no iPhone. Porém, o iPad de 2012 ainda não possuía o conector.

Muitas pessoas compram iPads no Natal. Como a Apple está passando por uma transição, essas pessoas não estariam satisfeitas porque haveria uma incompatibilidade entre os cabos do iPad de terceira geração e dos gadgets lançados no ano que vem, caso a pessoa viesse a comprar. Além disso, acessórios não seriam compatíveis. Ou seja, o conector de 30 pinos é um conector obsoleto.

Por isso, a Apple precisava mudar pelo menos o conector no iPad. Para que a mudança não fosse muito sem graça, a empresa aproveitou e já atualizou o iPad para a 4ª geração. Colocou um processador A5X, câmera FaceTime HD e colocou o conector Lightning.

Dessa forma, as pessoas que comprarem um iPad no Natal não irão se confundir e "odiar" a Apple no futuro por ter mudado o conector no meio do processo.

Mas muitos estão odiando a Apple agora porque o ciclo do iPad de 3ª geração foi muito pequeno, apenas de 7 meses. Isso lembra muito outras marcas que lançam 2 tablets por ano.

O ciclo de atualização do iPad é de um ano e vai continuar sendo. Aliás, se a Apple não quiser atualizar o iPad no ano que vem ela nem precisa, porque agora está mais que provado que ele vai durar por muito tempo.

O próprio iPad de terceira geração roda qualquer app da App Store sem problemas. Agora que o iPad de 4ª geração está ainda melhor, não existirão problemas nesse sentido. E o conector já é o novo, ou seja, menos uma preocupação para os usuários.

Se você comprou o iPad de terceira geração, saiba que possui um produto incrível em mãos. A tela possui uma qualidade fenomenal, ele possui um processamento incrível e ele simplesmente funciona, como qualquer produto da Apple. Ele oferece uma experiência de uso impressionante.

Assim como o iPad 2, evidentemente. A única diferença é a qualidade das câmeras. Em termos de processamento, o iPad 2 roda os apps da App Store sem problemas. O processador A5 oferece metade do processamento do A6, mas mesmo assim, ele roda qualquer app sem problemas. A Apple decidiu manter o iPad 2 na linha e agora lançou o iPad de 4ª geração, substituindo o de terceira geração.

E adicionou um irmão menor à linha: o iPad mini. O iPad mini possui uma tela de 7,9 polegadas. Como a Apple (e vários hands-on) mostra, é possível segurar o iPad com uma mão e usar com a outra.

A Apple garante que esse é um tamanho perfeito para um tablet menor. O aparelho fica mais portátil, é possível segurá-lo com uma mão, mas o usuário fica tão imerso quanto num iPad normal. A experiência de uso não é comprometida.

Aliás, o fator que mais contribui para não comprometer a experiência de uso é a resolução. Ela é a mesma do iPad 2 e do iPad 1 (1024x768). Por isso, todos os apps que rodam no iPad 2 rodam no iPad de 7,9". O conteúdo aparece da mesma forma. Porém, a tela é menor. Mas nada do conteúdo é perdido.

O iPad mini conta com um processador A5. O processador A5 é realmente muito bom. Hoje, ele consegue rodar tudo na App Store sem problemas. Ele foi inaugurado no iPhone 4S e o iPod touch de 5ª geração lançado no mês passado também possui o A5. 


O iPad 2, que continua sendo vendido pela Apple, também possui o A5, e o iPad mini. Ou seja, é o processador presente na maior parte dos aparelhos vendidos pela Apple hoje.

Isso nos leva a crer que os dispositivos que possuem o A5 serão atualizados por um bom tempo.

A Apple não revelou a quantidade de RAM do iPad mini. Ele está disponível em 16, 32 ou 64GB. Há versões com e sem conexões de celular.

A versão mais barata do iPad mini, somente com Wi-Fi e 16GB custa US$329. Quando comparados aos US$199 do Nexus 7 parece ser caro, mas se você considerar que a Apple utiliza materiais como vidro e alumínio e o bezel do iPad mini é cortado a diamante assim como no iPhone 5, vale a pena pagar alguns dólares a mais pela qualidade de construção.

O sistema, evidentemente, quem decide é o usuário. Porém, em qualidade de construção o iPad mini está muito bom.

O bezel lateral foi reduzido, justamente para que seja possível segurar o iPad com uma mão. Além disso, a Apple implementou um recurso no iOS 6 que identifica quando o polegar está apoiado na tela do iPad e quando o usuário está realmente usando. Tudo isso para ignorar toques não desejados. Afinal, o bezel lateral é pequeno, então provavelmente o seu polegar vai encostar na tela.

O iPad mini tem Siri e suporta todas as novidades do iOS 6.

Enfim, o iPad mini é um produto muito bom para certas pessoas que precisam desse tipo de tablet. Se ele dominar a categoria tal como o iPad normal domina a categoria de tablets normais, a Apple terá uma base enorme de usuários. E com isso, apps cada vez melhores surgirão e a Apple terá que melhorar seus serviços cada vez mais.

A Apple anunciou uma nova versão do iBooks Author, para que textbooks ainda melhores sejam produzidos. O iPad mini pode ser muito utilizado no mercado educacional, então livros melhores estão por vir!

Falando em iBooks, a Apple anunciou uma nova versão do aplicativo iBooks. Agora é possível escolher entre o "passar de páginas" convencional ou o passar de páginas em scroll contínuo. Além disso, o app agora suporta fontes personalizadas, incluindo outros idiomas.

No Brasil, a Apple finalmente lançou a iBooks Store, com livros em português. Os preços são em dólar, e muitos casos são equivalentes ou até mais caros que os preços dos livros físicos. Desse jeito, o mercado editorial digital não irá decolar tão fácil.

É certo que não existem os custos físicos de papel, transporte, enfim. Mas existe a comodidade de ter um livro digital, e de certa forma o consumidor paga por isso. Porém, os preços poderiam ser ainda mais convidativos.

A Apple anunciou no mês passado uma versão nova do iTunes, prometida para até o fim do mês. Estima-se que ela chegará no dia 26/10. Vamos esperar pra ver.

Enfim, a apresentação está disponível no site da Apple e no podcast oficial das apresentações da Apple no iTunes.

Foi um evento com muitas novidades interessantes! E como sempre, estamos todos malucos para colocar as mãos nesses novos brinquedinhos!

Esse post não possui quaisquer fins publicitários. Qualquer marca registrada mencionada pertence aos respectivos donos. As imagens utilizadas pertencem aos respectivos donos.

Um comentário: