domingo, 3 de outubro de 2010

A tecnologia nas eleições

Hoje é dia de eleições no Brasil. É um dia muito importante, visto que ele pode ou não mudar a história do país.

Como é do conhecimento de vocês, o Brasil é o país com o sistema de votação mais avançado do mundo, por causa da urna eletrônica. O Brasil se arriscou para que o voto fosse assim, e ele é assim em quase 100% do território. É muito mais seguro que o voto no papel, mas os países mais desenvolvidos não arriscaram o voto eletrônico.

A urna eletrônica é um aparelhinho que conta com ótimas funcionalidades, ela é extremamente tecnológica. De acordo com o Tecnoblog, que publicou as informações tecnológicas da urna que serão apresentadas nesse post, a urna eletrônica brasileira tem um processador X86 (ou seja, 32 bits), 256MB de memória RAM, um visor de LCD e portas USB, Serial, SmartCard, PS/2 e CompactFlash.

O terminal de atendimento tem um teclado e um leitor biométrico, e é por esse terminal que o mesário ativa a votação.

A urna contém uma versão do Linux autorizada pelo TSE, sendo que 180 dias antes das eleições esse software é liberado para os partidos políticos, para a OAB e para o Ministério Público para que esses órgãos tentem invadir o software, para encontrar falhas de segurança. Qualquer falha é informada ao TSE, que vai corrigir essa falha. Esse processo continua até que não sejam encontradas mais falhas na urna.

Os dados dos políticos são gravados através de um cartão CompactFlash. Ao término das eleições os dados dos votos, o boletim da urna, dados de quem não votou e um arquivo de log, entre algumas outras coisas, ficam gravados em um Pen Drive, que é levado para os computadores ou sei lá o que onde se realiza a contagem dos votos.

A urna conta com mecanismos para saber se ela foi violada ou não, além de ser extremamente segura. Eu não sei o porquê, mas vários países desenvolvidos ainda utilizam o sistema de voto em papel, sendo que o da urna eletrônica é muito mais chique e seguro.

Se algo der errado na instalação das urnas, utiliza-se urnas reservas. Se algo der errado nas urnas reservas, aí sim o voto passa a ser pelo papel.

O voto de papel é ainda utilizado em alguns municípios minúsculos do país, porque acho que não tem necessidade de levar uma urna até lá para contabilizar pouquíssimos votos. A urna é extremamente eficiente quando se tem uma população grande, mas ela se torna desnecessária quando a população é muito pequena.

Tendo o melhor sistema de voto do mundo, o próximo passo do Brasil é ter os melhores políticos do mundo, mas acho que isso não fica nem para a próxima eleição.

0 comments:

Postar um comentário